Vacina da gripe reduz risco de ataque cardíaco.

As vacinas contra a gripe podem reduzir o risco de ataques cardíacos, especialmente nas pessoas com mais de 50 anos, segundo um estudo de cientistas australianos.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Nova Gales do Sul (UNSW) demonstrou que as vacinas antigripais têm 29% de efetividade na prevenção de ataques cardíacos, um nível quase similar ao de outras medidas preventivas.

Estudos prévios assinalam que a efetividade das estatinas, fármacos usados para diminuir o colesterol, como prevenção secundária de ataques cardíacos é de 25%, enquanto a dos produtos contra a hipertensão se situa entre 15% e 18%, e a dos métodos para deixar de fumar em 26%.

Estas conclusões se desprendem da análise realizada pela equipe da UNSW em diversos casos internacionais de controle para estudar os nexos entre a gripe e as vacinas, assim como com os ataques cardíacos, segundo um comunicado da universidade australiana.

Os cientistas da UNSW descobriram que muitos dos pacientes com ataques cardíacos tinham contraído a gripe pouco antes desse incidente.

"As vacinas antigripais são seguras, efetivas e acessíveis. Com base nas descobertas do estudo, todas as pessoas com mais de 50 anos deveriam considerar se vacinar, especialmente se estão em risco de ter ataques cardíacos", comentou a autora do estudo, RainaMacIntyre.

Pesquisas prévias assinalam que a gripe contribui para que o coração bata com maior rapidez, e se produzam com maior facilidade coágulos sanguíneos, o que pode bloquear artérias que já estão obstruídas.

MacIntyre destacou que "mesmo que uma pessoa (mais velha) tenha um peso saudável e careça de antecedentes familiares de ataques cardíacos, pode ter um engrossamento de suas artérias sem sabê-lo".

Fonte: KevorkDjansezian/AFP