Às vezes a aplicação das vacinas combinadas gera dúvidas sobre a eficácia dos seus efeitos. Mas, para especialistas como Bedford, H.Marcuse et al e a Academia Americana de Pediatria, a utilização de vacinas combinadas é mais vantajosa do que a vacinação simultânea em diferentes locais do corpo da criança.

A maioria das vacinas combinadas para uso em bebês contém, no mesmo volume, um maior número de antígenos que além de facilitarem a administração de vários imunógenos ao mesmo tempo, reduzem o medo que as injeções despertam, não somente em crianças como também em adultos. Além disso, elas reduzem os gastos com equipamentos (agulhas, seringas), reduzem problemas de estoque, reduzem gastos da família devido à necessidade de retornos frequentes para aplicar diversas injeções, reduzem o estresse e o desperdício de tempo, tanto para a família, como para a equipe de saúde.

Também, representam um avanço considerável no sentido de permitir que crianças e adultos recebam um número maior de vacinas sem o desconforto de múltiplas aplicações com custos maiores.

Atenção: é preciso salientar que somente as vacinas combinadas licenciadas podem ser administradas em crianças e adultos, pois a mistura de diferentes produtos pode causar reações adversas ou levar ao comprometimento da resposta imune. As alterações na imunogenicidade podem ocorrer por incompatibilidade química entre antígenos, conservantes, estabilizantes, proteínas carreadoras ou competição antigênica entre diferentes vírus atenuados.

Outra questão que se levanta é a seguinte: É possível, nas doses de reforço, utilizar-se vacinas produzidas por diferentes fabricantes?

Sem dúvida, é permitido e válido desde que as fábricas das vacinas utilizadas sejam licenciadas e recomendadas para a faixa etária.